25 de dezembro de 2008

Um texto para minha mãe

Nunca é pr'essa casa tijolos cimento teto que eu retorno. É para você e é sempre. Meu eterno lar em carne e osso, carne viva, vida. Mãe. Teu colo, onde adormeço depois de madrugadas que eu sonho eternas, entrando de bar em bar, poetizando a realidade e repetindo um a um todos os meus vícios tolos, na tentativa cerzir loucamente como uma agulha cega o espaço entre os dias, que é a sobriedade. E se permaneço, ás vezes, tão longe de você, do seu colo, do seu útero é para que não des-cubra as fragilidades que me sufocam, que não me deixam levantar. Congelei por anos minha maré cheia por não saber onde inundar e só poderia ser em você, mãe.
Tantas tantas palavras e essa mudez própria da indecisão do quanto são precisas para te falar do meu amor do tamanho e da força. Todas essas coisas que vem de ti para mim e retorna, como eu, mãe. Sempre.

Feliz Aniversário

7 comentários:

.lucas guedes disse...

parabéns pra mama. e que ótimo presente este seu pra ela. ;-)

Stephanie disse...

gostei muito da metáfora da Mãe Casa, Ninho, Lar de Carne e Osso. Talvez, no fundo seja isso mesmo, mas eu, tão independente raramente penso nisso, ou falo sobre com a minha - quando penso em Mãe Ninho, meu instinto primeiro é bater asas, ainda que eu saiba muito bem, que precisarei voltar devezenquando, nem que seja por um colo.

beijo beijo

J.F. de Souza disse...

Gostei da forma que vc expressou essa relação tua com tua mãe... É legal isso... =)

Feliz 2009, Lubi, minha qrida! =*

thais regina disse...

demais lindo.. gostei muito

Claris disse...

lindooo!
Lubi, vc só me surpreende. Fico alguns poucos longos tempos sem te acompanhar e seus versos evoluíram tanto, minha amiga!

haja sensibilidade...
amo vc.

mila disse...

lindo! sua mãe deve estar orgulhosa. pelo poema e pela filha linda. um beijo, florzinha.

O2 disse...

" Congelei por anos minha maré cheia por não saber onde inundar"

amei tu texto, excelente menina linda!

:)

n para de escrever NAO!!