13 de janeiro de 2009

I

da palavra, bendita:

ou do que foi por tempos o silêncio
se não, não há lágrima.
porque logo eu
tão in na condição humana
resisto à tentação
da dor mesmo mínima
aquela
de esbarrar os hematomas em cantos invisíveis
coçar feridas que já são cicatrizes
do que diria Joni Mitchell
re e romantizar o que não
além de mim.
porque eu sei que se
será um afogamento.

2 comentários:

Luiz Guilherme Amaral disse...

Ficou tão bonito que impressiona.

O2 disse...

Tu brincas com as palavras de uma maneira muito linda, gosto de te ler.

beijo