3 de junho de 2009

Santiago



Santiago já não me cabe
no colo, embora ainda
joelhos rasgados &
abismo entre dentes de
leite.

Santiago me olha de soslaio
corpo encostado à porta
o limite entre nós
porque preferível, sempre preferível
não notar que o tempo é
o embranquecer dos
meus cabelos.

11 comentários:

.lucas guedes disse...

já vi este texto em algum lugar... bonito.

André Lasak disse...

Bunito isso, cara Lubi!

Pô... eu ainda não tinha o Coração na Boca lá n'A Máfia do QU... que absurdo! Já incluí, viu?

BEIJÃO!

Cleyton disse...

lindo. Quem é o menino?

Dica disse...

Filho?

Lindo tanto o poema qto ele.

Rodrigo Artur disse...

A minha barba está embraquecendo primeiro.

.leticia santinon disse...

Adoro esse nome.

Renata de Aragão Lopes disse...

Pede que eu ponha para fora? (risos)
Nada... Ponho pra dentro!
Sou mãe e me identifiquei com suas linhas...

marcela disse...

gostei da cara nova

Briza disse...

adoro demais esse nome. santiago.

camila disse...

que lindo, florzinha.

Elaine Lemos disse...

Lindos! Santiago e poema!

Beijo! Sempre.