31 de agosto de 2009

Elixir da Longa vida

ganho tempo com a poesia.

26 de agosto de 2009

persevera
quando ver é pouco
e o verbo escasso

não sê severa consigo
nem surta
enquanto tempo
impõe
desaconteceres
& silêncios rotineiros
dessa espera

e se perserverando
não se vê nada vir
dos exerícios
de domínio
de cios, vícios
tédios

vê se erra
sê perversa
per se versa
e por si só
verá

*

Uma delicadeza da Sté, para mim.

17 de agosto de 2009

Futuro

se te sei apenas semente
e já inteiro em nós
meu pensamento
não abandona suposições
como será quando for
visível teu corpo & jeito,
teu saltar pra vida.

*

Sobre o(a) sobrinho(a) que soube recentemente.

*

Postado anteriormente aqui.

3 de agosto de 2009

Nome próprio

eu disse teu nome
tantas vezes
sem saber que era teu nome

anúncios em out-doors
manchetes em jornais
capas de revistas.

a insistência que não conhece-se e
não é da pós-modernidade em dar novos sentidos
à repetição quando não há.

e quando soube você e teu nome e mais
um rasgo tão grande no abismo do meu peito
essa intensidade e pressa de te dizer para todos.

foi então apenas teu nome
no meu dicionário inteiro
e interno.

foi então apenas teu nome
em mim, tentativa vã de incorporar
tatuagem invisível que penetra e rabisca o dentro.

até restar nada ou o silêncio
porque toda a simplicidade era o avesso:
uma virada de 180 graus.

não encontrei o que respirar após.
se des-conheci seu nome pelo desperdício
tornaram-se apenas intenções poesia e vida.