18 de setembro de 2009

Janaína

há tanto tempo não vejo
Janaína há tanto tempo e
ainda o sol insiste
na cor amarela de
seus cabelos curtos
quando imploro o cinza interno
no tempo
não sorrio a distância de
quilômetros e dias amargo
sem solução a ausência

há tanto tempo não vejo
Janaína há tanto tempo.

3 de setembro de 2009

agora
o alívio dizer

finalmente e apenas
porque há dias e nesses
silêncio de bocas & mãos.

os quilômetros
entre nós
mentem-se infinito.

engana-nos
pergunto
- questão principal.

é nadar contra a maré
modernidade
da obrigação estar
sempre sempre estar
mesmo quando não,

nosso silêncio

há necessidade em
contra-
dizer-nos
no que não é sobre
compreensão
no que não é sobre dois
apenas dois: nós.