25 de abril de 2011

um post reflexivo

decidi participar de um concurso de escritoras. não acho que tenho um super talento como poeta, mas. me por à prova equivale a subir um degrau.
anteriormente, já havia decidido publicar um livro, já havia selecionado os poemas e enviado para alguns amigos opiniarem. publicar um livro nunca foi algo primordial para mim, nunca foi uma meta a ser alcançada. acho que tem muito a ver com fechar uma fase na minha vida.
na necessidade quase urgente de reler os poemas escolhidos, tirar alguns, por outros, eu mesma não consigo lê-los. a primeira página diz: para G., por quem todos os poemas são. eu não quero experimentar a intesidade ali descrita em muitos momentos da minha vida em que eu fui extremamente feliz ou em momentos de dores, que aceita e passei por. esse medo acontece quando seguramos a rédea de nossas próprias vidas. e segurar a rédea, às vezes, nos impede de ter grandes experiências. eu ando tão controlada que não me surpreendo mais com nada. a vida vai acontecendo e eu vou vivendo.
é um livro sobre amor. em que eu preciso voltar a acreditar.

4 comentários:

meuparedro disse...

Quero ler, Lai.
Beijo.

J.F. de Souza disse...

É interessante, isso. Esses poemas verdadeiros, esses que tem uma parte da nossa alma... Acabam se tornando fantasmas. E é tão difícil lidar com esses seres, às vezes...

=*

Um brasileiro disse...

Olá. Estive por aqui dando uma olhada. Muito legal e bonito. Apareça por lá. Abraços.

bruniuhhh disse...

comecei a participar de concursos esse ano, no meu caso: contos.
e também ando numa coisa de escrever um romance.

e sempre seus poemas são lindos