2 de maio de 2011

um desafogamento ou a última vez que falarei sobre você

eu tenho uma personalidade difícil. sempre admiti isso, embora nunca tentei me por rédeas fortes. até três anos atrás.
meus relacionamentos sempre foram vividos intensamente, para o bem e para o mal: ciúme, brigas, medo de perder, dependência e etc. até três anos atrás.
com você eu quis ser leve. não por amor, mas por não me importar tanto assim. coração já tão ferido. conheci ser livre e permitir ao outro ser livre. conheci não brigar e confiar. vivi anos felizes. muitas risadas e diversão. me importava mais com quem você era comigo do que com imaginar como era com outros. porque eu sabia das nossas diferenças. e éramos amigos. o que poderia, então, não conhecer em você?
até o final do ano passado. até as desculpas pelo trabalho em excesso, as viagens. enquanto eu me contorcia com trabalho, faculdade e cursos, e mesmo assim, ao seu lado, sempre. embora eu quisesse confiar em você, era evidente. foi aí que a mágoa começou e eu fui embora muitas vezes sem ir.
e desde dezembro essa relação se desgastou tanto que hoje não sobrou nada. estamos definitivamente separados.
desde o fim, às vezes, me percebo me culpando pelos seus atos.  embora saiba conscientemente que essa culpa não deva existir, afinal, ofereci o meu melhor para você e, graças, não me arrependo de nada. não posso me culpar pelo seu mau caráter, quando você engana quando não há necessidade de enganar.
mais uma partida na minha vida. e vou aprender a ser melhor.