20 de setembro de 2011

o que não me mata, me fortalece

por mais que eu fale, só eu sei realmente o momento pelo qual estou passando e os sentimentos que tenho.
só eu sei da minha autodestrutividade, apesar de aparentar sensatez e otimismo. e o quanto tenho forçado a sobriedade nesses dias em que as saudades e solidão beiram o limite da minha força. e o quanto tenho me forçado a não.fazer.merdas.
tenho perdido muito muito tempo tentando entender os últimos acontecimentos e os detalhes mais importantes são inacessíveis. chamaríamos os detalhes mais importantes de coincidências. e isso não me acalma. tenho fixação por esmiuçar o dito e o feito, o não dito e o não feito. e isso me faz sofrer. por não conseguir sempre e por quando conseguir, notar que a verdade atrás de tudo, não é bonita.
somos mesquinhos e o que nos move é a necessidade de sermos amados, doa a quem doer.
tenho perdido muito muito tempo olhando minhas mãos vazias. eu não sei perder eu nunca soube eu não quero aprender. será que quando aprendemos a perder a realidade perde a graça? eu acho que sim. ou as vitórias são mais gostosas? mas a vitória é cada dia.
sei que tudo o que eu fiz nos últimos anos foi para não passar pelo que eu estou passando agora.

5 comentários:

Darlan disse...

Porra, que merda. Não o texto, de modo algum, tampouco o blog. Mas isso tudo me mostrou mais do que eu queria, talvez. Talvez quisesse. Espelhos me incomodam, não sou fotogênico. Ótimo.

Daniele Gonçalves disse...

Olá!


Sou responsável pelo conteúdo do portal Personare (www.personare.com.br), e recentemente lançamos o livro "Para que o amor aconteça", criado a partir de histórias reais: http://www.personare.com.br/para-que-o-amor-aconteca/livro.

Gostaria de mandar um exemplar para você, poderia me passar seu endereço pelo e-mail conteúdo@personare.com.br?

Obrigada,
Daniele.

Leandro Jardim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leandro Jardim disse...

não mata
mas lesa
a fortaleza

até muda
mas nada
que prejudique

pois penso
conserto
se fortalece


:)
inspirando nas sua palavras,
bjo, LJ
(melhorei... hehe)

Pedra do Sertão disse...

Estou contigo no mesmo plano de aprender a andar de bicicleta...Picasso aprendeu aos 70!

Sucesso,

Araceli

www.pedradosertao.blogspot.com