14 de setembro de 2011

tento concentrar-me em
o pão de acúçar, mas
o vento insiste

quer levar meu chapéu &

não há óculos que cale esse sol.

barcos deslizando deslizando lentos,
crianças brincando

desejo internalizar, não qualquer fotografia,
é o momento

vê-lo pertencendo a
um lugar distante de nossas paredes construindo-se

nosso papel de parede seria, então,
cartões postais do mundo inteiro:
(berlim, ny, paris, rio &
ainda serão tantos os destinos)


não aquele azul estampando inverso de qualquer alegria.